Fiche Personne
Réalisateur/trice Ecrivain/ne Acteur/trice Scénariste Président/e Directeur/trice de festival Mannequin Programmateur/trice

Zózimo Bulbul

Brésil

Français

Zozimo Bulbul est un acteur, cinéaste et scénariste brésilien né en 1937 à Rio de Janeiro. Comme acteur, il a joué dans le film « Filhas do vento » (Les filles du vent) de Joel Zito Araùjo qui est aussi dans la programmation cinéma du Festival Mondial des Arts Nègres (Dakar, 2010).
Zozimo Bulbul crée en 2007 à l’âge de 70 ans le « Centro Afro Carioca de Cinema » qui promeut le cinéma brésilien, ainsi que le cinéma africain et de la Diaspora. La quatrième rencontre du Centro Carioca de Cinema en 2010 a rendu hommage aux 50 ans de l’indépendance des pays africains.
Il est l’une des icônes des années 1960 avec ses interprétations à la télévision et au cinéma. A la télé, il fut le premier interprète noir d’une série brésilienne et aussi l’un des acteurs principaux des films produits dans le mouvement du Nouveau Cinema. En plus de cela, Zozimo Bulbul sera connu aussi le premier mannequin homme noir de la haute couture.
Plus connu à l’étranger que dans son propre pays, son film « Aboliçao » (Abolition) a gagné beaucoup de prix à travers le monde. Dans sa filmographie, l’on pourra citer :
– « Alma no Olho » (1973)
– « Dia de Alforria » (1980)
– « Pequena Africa », qui montre des endroits de la ville de Rio de Janeiro, qui, entre les années 1850 jusqu’à 1920, étaient habités par des esclaves affranchis.

Il décède à Rio de Janeiro, le 24 de janvier 2013. Un hommage lui a été rendu durant le FESPACO 2013 au Burkina Faso.

English

From Brazil (1937 – Rio de Janeiro, January 24, 2013), Zozimo is one of the main films actors produced by the movement of the new cinema in his country. Actor in at least fifteen films, Zozimo is director too. He has more than a dozen of films so far that have received many prizes during the different international cinematographic meetings. In 2007 at 70 years old, he creates the' »Centro Afro Carioca de Cinema » which promotes the Brazilian cinema but also the African one and Diaspora. The fourth meeting of Centro Carioca de Cinema in 2010 paid tribute to 50 years of independence of African countries. Zozimo Bulbul is one of the Black icons of the 60′ and 70′ in Brazil. He participated in many international meetings and roundtables on cinema.

____________________

PT
Zózimo Bulbul (Rio de Janeiro, 1937 – Rio de Janeiro, 24 de janeiro de 2013) foi um ator, cineasta e roteirista brasileiro. Um dos maiores expoentes da Cinematografia afro brasileira nas décadas de 60 e 70, Zózimo Bulbul fez da história do povo negro no Brasil o seu caminho através do cinema. Como ator de cinema, trabalhou em mais de 30 filmes, atuou em clássicos como Terra em transe, Compasso de Espera e Filhas do Vento. Em 1974 estreou como diretor com o curta em preto e branco « Alma no Olho ». Produtor e roteirista ele realizou até 2009, inúmeros curtas e um longa, todos com o foco na valorização da cultura negra no Brasil.

Zózimo Bulbul, ator e diretor de cinema têm sua carreira iniciada em meados dos anos 60. Sua formação é no CPC da UNE. Todos os seus filmes são importantes para a preservação e memória da cultura afro. São todos filmes que denunciam as diferenças, a solidão, a discriminação e a desigualdade que o povo negro ainda vive neste país, mas sempre com um olhar de luta e de desafio.


Grande do Sul (Porto Alegre), Pernambuco (Recife) e Rio de Janeiro (Rio de Janeiro e Niterói). Zózimo Bulbul atua especialmente no Rio de Janeiro, sua cidade de origem. Em 2007, fundou o Centro Afro Carioca de Cinema, realizando um antigo sonho.

No mesmo ano realizou o I Encontro de Cinema Negro Brasil/África (Novembro) e homenageou o Cineasta Ousmane Sembène, « o pai do cinema africano ». Foi realizado no Rio de Janeiro e posteriormente em Salvador no período de 29 de novembro a 04 de dezembro de 2007.

Em 2008 realizou o II Encontro de Cinema Negro Brasil África e América Latina que aconteceu de 13 a 24 de novembro e homenageou Solano Trindade realizando um curta em homenagem ao Centenário do poeta – Um poema para Solano Trindade. Em fevereiro/março de 2009 Zózimo dirigiu uma delegação com cineastas afros brasileiros que participaram com seus filmes do Festival Pan Africano de Cinema de Ouagadogou – Burkina faso. Das imagens capitadas nesta viagem ele produziu o curta FESPACO 7′.

Agora, em 2009 Zózimo Bulbul vai realizar o III Encontro de Cinema Negro Brasil África e Américas, que este ano homenageia o grande ícone do cinema americano « Sant Clair Bourne », e além de exibir filmes feitos por outros cineastas americanos, e pela primeira vez conta com a presença dos diretores afros americanos, sete cineastas Africanos, e dois caribenhos e é claro os cineastas brasileiros veteranos e os novos realizadores. Ele ainda espera por muitos encontros como esse na certeza de que no futuro as informações que são passadas através do cinema fortaleçam a cultura africana ainda tão rejeitada.

PRÊMIOS
Prêmio de melhor documentário Jornada da Bahia – Alma no Olho – 1977

Prêmio de melhor roteiro e fotografia – Abolição Festival Brasília -1988

Prêmio de melhor Cartaz – Abolição Festival Nuevo Cine Latino Americano / Havana -Cuba – 1989

Prêmio de melhor Documentário – Abolição Festival Latino de Cinema – Nova York – 1990

Prêmio Pro – Cine (Longa Metragem) – Abolição Roteiro: « O Cantor das Multidões » – 2001

Prêmio ProCine – (Curta Metragem) – Abolição Roteiro e Direção: « Pequena África – 2001

OUTRAS PARTICIPAÇÕES INTERNACIONAIS EM FESTIVAIS Debates e mesas redondas

* The Third Anual Contemporary African Diaspora Film N.York -1995

* XV Festival Pan-Africano de Cinema e Televisão de Ouagadougou Burkina Faso África -1997

* 9° Festival de Cinema Africano em Milão -1999

* Black Movie Festival Génevè Suisse -1999

* Fórum d’Images Paris – 1999

* 2º Festival Cinema Africano Cabo Verde – 2000

* África em Foco – Buenos Aires – 2006

* 19º Encontro de Cinema Latino Americano – Toulouse, France – 2007

* XX – Festival Pan-Africano de Cinema de Ouagadougou – FESPACO – Burkina Faso – África – 2007.

* XXI – FESPACO – 2009. Zózimo Bulbul chega aos 73 anos, com inúmeras realizações e continua usando da sua grande arma, « As lentes da câmera », para levar história do Cinema Negro ao mundo.

Português

Zózimo Bulbul (Rio de Janeiro, 1937 – Rio de Janeiro, 24 de janeiro de 2013) foi um ator, cineasta e roteirista brasileiro. Um dos maiores expoentes da Cinematografia afro brasileira nas décadas de 60 e 70, Zózimo Bulbul fez da história do povo negro no Brasil o seu caminho através do cinema. Como ator de cinema, trabalhou em mais de 30 filmes, atuou em clássicos como Terra em transe, Compasso de Espera e Filhas do Vento. Em 1974 estreou como diretor com o curta em preto e branco « Alma no Olho ». Produtor e roteirista ele realizou até 2009, inúmeros curtas e um longa, todos com o foco na valorização da cultura negra no Brasil.

Zózimo Bulbul, ator e diretor de cinema têm sua carreira iniciada em meados dos anos 60. Sua formação é no CPC da UNE. Todos os seus filmes são importantes para a preservação e memória da cultura afro. São todos filmes que denunciam as diferenças, a solidão, a discriminação e a desigualdade que o povo negro ainda vive neste país, mas sempre com um olhar de luta e de desafio.


Grande do Sul (Porto Alegre), Pernambuco (Recife) e Rio de Janeiro (Rio de Janeiro e Niterói). Zózimo Bulbul atua especialmente no Rio de Janeiro, sua cidade de origem. Em 2007, fundou o Centro Afro Carioca de Cinema, realizando um antigo sonho.

No mesmo ano realizou o I Encontro de Cinema Negro Brasil/África (Novembro) e homenageou o Cineasta Ousmane Sembène, « o pai do cinema africano ». Foi realizado no Rio de Janeiro e posteriormente em Salvador no período de 29 de novembro a 04 de dezembro de 2007.

Em 2008 realizou o II Encontro de Cinema Negro Brasil África e América Latina que aconteceu de 13 a 24 de novembro e homenageou Solano Trindade realizando um curta em homenagem ao Centenário do poeta – Um poema para Solano Trindade. Em fevereiro/março de 2009 Zózimo dirigiu uma delegação com cineastas afros brasileiros que participaram com seus filmes do Festival Pan Africano de Cinema de Ouagadogou – Burkina faso. Das imagens capitadas nesta viagem ele produziu o curta FESPACO 7′.

Agora, em 2009 Zózimo Bulbul vai realizar o III Encontro de Cinema Negro Brasil África e Américas, que este ano homenageia o grande ícone do cinema americano « Sant Clair Bourne », e além de exibir filmes feitos por outros cineastas americanos, e pela primeira vez conta com a presença dos diretores afros americanos, sete cineastas Africanos, e dois caribenhos e é claro os cineastas brasileiros veteranos e os novos realizadores. Ele ainda espera por muitos encontros como esse na certeza de que no futuro as informações que são passadas através do cinema fortaleçam a cultura africana ainda tão rejeitada.

PRÊMIOS
Prêmio de melhor documentário Jornada da Bahia – Alma no Olho – 1977

Prêmio de melhor roteiro e fotografia – Abolição Festival Brasília -1988

Prêmio de melhor Cartaz – Abolição Festival Nuevo Cine Latino Americano / Havana -Cuba – 1989

Prêmio de melhor Documentário – Abolição Festival Latino de Cinema – Nova York – 1990

Prêmio Pro – Cine (Longa Metragem) – Abolição Roteiro: « O Cantor das Multidões » – 2001

Prêmio ProCine – (Curta Metragem) – Abolição Roteiro e Direção: « Pequena África – 2001

OUTRAS PARTICIPAÇÕES INTERNACIONAIS EM FESTIVAIS Debates e mesas redondas

* The Third Anual Contemporary African Diaspora Film N.York -1995

* XV Festival Pan-Africano de Cinema e Televisão de Ouagadougou Burkina Faso África -1997

* 9° Festival de Cinema Africano em Milão -1999

* Black Movie Festival Génevè Suisse -1999

* Fórum d’Images Paris – 1999

* 2º Festival Cinema Africano Cabo Verde – 2000

* África em Foco – Buenos Aires – 2006

* 19º Encontro de Cinema Latino Americano – Toulouse, France – 2007

* XX – Festival Pan-Africano de Cinema de Ouagadougou – FESPACO – Burkina Faso – África – 2007.

* XXI – FESPACO – 2009. Zózimo Bulbul chega aos 73 anos, com inúmeras realizações e continua usando da sua grande arma, « As lentes da câmera », para levar história do Cinema Negro ao mundo.
Films(s)