Fiche Personne
Réalisateur/trice

Orlando Mesquita

Mozambique

Français

Orlando Mesquita est un réalisateur et éditeur de films mozambicain, né à Nampula (Nord du Mozambique) le 21 novembre 1962.

FILMOGRAPHIE
(comme réalisateur)

2011
– Dom João (série de petits films)

2010
– Les voisines (série de 3 courts-métrages)

2009
– O Craque (documentaire)

2008
– La Tempête (court-métrage de fiction)

2003
– Beat It (cinq documentaires sur la culture jeune, 5×15′)

2001
– Éclipse (documentaire 25′)
Le Ballon (documentaire 5′)

2000
– Notre Terre (documentaire 53′)

1999
– Histoires communautaires (6 documentaires 6×26′)

1998
– Vila Autárquica (fiction, 2 épisodes, 2×20′)

1997
– Sur le chemin de la réintégration (documentaire 23′)

1996
– Roues de rue (documentaire 5′)

1995
– Courants (documentaire 26′)

1991
– Quand les fleurs ont commencé à fleurir (TV, 10×30′)
– Pollution (L’autre face du progrès) (documentaire 12′)

English

Orlando Mesquita is a Mozambican Director and Film Editor.

Orlando Mesquita Tello Pereira de Lima was born in November 21, 1962 in Nampula. Since his childhood has a passion for film and cartoon sequences did (simple) on the pages of school books and could see when flipping through the animation result, some football, karate etc.. Even invented a film projector with a shoebox and drawings on clear plastic, with the help of a flashlight, the projected Wall to your friends. His father was an amateur video, once, after independence, filmed for the district government and had a cultural celebration, as always, the films to be unveiled in South Africa and never returned the tapes and so was arrested and when the released a year later, his house was empty. When is 16 years old, his father gave him a camera and an 8mm projector and also many films of Charlie Chaplin and Laurel and Hardy (Laurel and Hardy).

Mosque wants to work in film and presented in 1983 as a candidate for the new company Kanem in Maputo that offered courses in film studies, where he works as an editor, sounder and producer until 1991. So is assistant editor of the film « Karingana Karingana wa », « Maputo Woman » and « Blood Border. » Since 1987, serves as editor of several audiovisual projects such as « Governors of Dew, » a film adaptation of a play group Mutumbela Gogo ninety minutes, « Kassav » (7 min.) Video clip of the music group Kassav being repaired in Maputo, « Womanhood » (25 min.) audiovisual poem about a Mozambican woman, « The Shepherd » (8 min.) a video clip about young lovers in Mozambique and « When the flowers began to Smile » (300 min.), a series of 10 television programs on the environment. Also in 1991 ends « Pollution (The Other Face of Progress) » a short film (12 min.) On the pollution in the city of Maputo.

In these years attending courses in photography and film production in 1991 to complete school in San Antonio de los Baños in Cuba, this time directed by Brazilian Orlando Senna. Oh, also found other Mozambicans who attend school, but then they continue their career. When he returns he works as editor for the new company Ebano Multimedia, and so in 1991, works for the documentaries « Marracuene » and « Goodbye DDR (DDR Farwell). He also works for other companies and projects. Co-founded the IRIS Imaginations, a company dedicated to developing communication materials designed to develop life skills. Mosque is also a founding member of Coopimagem, which is a joint venture company to produce graphics and film who works as a creative in the design, layout of books, pamphlets, and film editor. Mosque is responsible for several films in sound and musical composition and visual special effects and soundtracks. Does the direction of the first telenovela actors Mozambique « No need to push. » In 2005 makes the conception, design and editing a series of cartoons in Mozambique « Musculinho, » a caricature of a Mozambican who every day have to invent a way’muddling through life’ (get something to eat). Between 1983 and 2010 is editor, director and composer of film over 300 films, including documentaries, fiction, music, video clips, TV shows, etc.. signing various areas of production for most of film production in Mozambique.

From his personal website https://sites.google.com/site/orlandomesquitalima/Home/minha-aventura-cinematografica

FILMOGRAPHY

2011
– Dom João (short films)

2010
– The Neighbours (Three short films)

2009
– O Craque (documentary)

2008
– A Tempestade (short film, fiction)

2003
– Beat It (Five documentaries about youth culture, 5×15′)

2001
– Eclipse (documentary 25′)
The Ball (documentary 5′)

2000
– Nossa Terra (documentary 53′)

1999
– Histórias Comunitárias (6 documentaries 6×26′)

1998
– Vila Autórquica (2 fiction episodes 2×20′)

1997
– A Caminho da Reintegração (documentary 23′)

1996
– Rodas da Rua (documentary 5′)

1995
– Correntes (documentary 26′)

1991
– Quando as Flores começarem a Florir (TV series 10×30′)
– Pollution (The other face of progress) (documentary 12′)

Português

Orlando Mesquita é um Director e Editor Cinematográfico moçambicano.

Orlando Tello Mesquita Pereira de Lima nasce a 21 de Novembro de 1962 em Nampula. Desde a sua infância tem uma paixão pelo cinema e fazia sequencias de desenhos animados (simples) nas páginas dos livros de escola e quando os folheava podia ver o resultado da animação, alguns sobre futebol, Karaté etc. Inventava mesmo um projector de cinema com uma caixa de sapatos e desenhos em plástico transparente que, com a ajuda de uma lanterna, projectava na parede para seus amigos. O seu pai era video amador, certa vez, depois da independência, filmou para o governo distrital uma celebração cultural e mandou, como sempre, os filmes para serem revelados na África do Sul e as fitas nunca voltaram e por isso foi preso e quando o libertaram, um ano mais tarde, sua casa estava vazia. Quando tem 16 anos, o seu pai ofereceu-lhe uma câmara de filmar e um projector 8mm e também numerosos filmes de Charles Chaplin e Bucha e Estica (Laurel and Hardy).

Mesquita quer trabalhar em cinema e apresenta-se em 1983 como candidato à nova empresa Kanemo em Maputo que oferecia cursos de formação cinematográfica, onde trabalha como editor, sonorizador e produtor até 1991. Assim é assistente editor do filme « Karingana wa Karingana », « Maputo Mulher », e « Fronteiras de Sangue ». Desde 1987, funciona como editor de vários projectos audiovisuais tais como « Governadores do Orvalho », uma adaptação cinematográfica de uma peça de teatro do grupo Mutumbela Gogo com noventa minutos; « Kassav » (7 min.) um vídeo-clip do grupo de música Kassav em conserto em Maputo; « Ser Mulher » (25 min.) um poema audiovisual sobre a mulher Moçambicana; « O Pastor » (8 min.) uma vídeo clip sobre jovens apaixonados em Moçambique e « Quando as Flores Começaram a Sorrir » (300 min.), uma série de 10 programas de televisão sobre o ambiente. Também em 1991 termina « Poluição (A Outra Face do Progresso) » uma curta-metragem (12 min.) sobre a poluição na cidade de Maputo.

Nestes anos frequenta cursos de fotografia e de produção cinematográfica que completa em 1991 na escola de San António de los Baños em Cuba, nesta altura dirigido pelo brasileiro Orlando Senna. Ai, encontra outros moçambicanos que também frequentam a escola, mas depois não continuam a sua carreira. Quando regressa exerce a profissão de editor para a nova empresa Ébano Multimedia, e assim, em 1991, trabalha para os documentários « Marracuene » e « Adeus RDA (Farwell DDR) ». Trabalha também para outras empresas e projectos. Co-funda a IRIS Imaginações, empresa vocacionada para o desenvolvimento de materiais de comunicação que visam desenvolver habilidades para a vida. Mesquita é também membro fundador da Coopimagem, que é uma empresa mista de produção gráfica e cinematográfica na qual trabalha como criativo na concepção, maquetização de livros, folhetos e editor cinematográfico. Mesquita é em diversos filmes responsável pelo som e composição musical e efeitos especiais visuais e para as trilhas sonoras. Faz a direcção de actores da primeira telenovela moçambicana « Não é preciso empurrar ». Em 2005 faz a concepção, desenho e edição de uma série de desenhos animados em Moçambique « Musculinho », uma caricatura de um moçambicano que todos os dias tem que inventar uma maneira ‘desenrascar a vida’ (arranjar algo para comer). Entre 1983 e 2010 é editor, realizador e compositor cinematográfico de mais de 300 filmes, entre documentários, ficção, musicais, video clips, programas de televisão etc. assinando diversas áreas de produção em grande parte da produção cinematográfica moçambicana.

Do website personal dele: https://sites.google.com/site/orlandomesquitalima/Home/minha-aventura-cinematografica

FILMOGRAFIA

2011
– Dom João (série de pequenos filmes)

2010
– As vizinhas (série de 3 curtas metragens)

2009
– O Craque (documentário)

2008
– A Tempestade (curta-metragem, ficção)

2003
– Beat It (Cinco documentários sobre cultura de juventude, 5×15′)

2001
– Eclipse (documentário 25′)
A Bola (documentário 5′)

2000
– Nossa Terra (documentário 53′)

1999
– Histórias Comunitárias (6 documentários 6×26′)

1998
– Vila Autárquica (2 ficções episódios 2×20′)

1997
– A Caminho da Reintegração (documentário 23′)

1996
– Rodas da Rua (documentário 5′)

1995
– Correntes (documentário 26′)

1991
– Quando as Flores começarem a Florir (TV series 10×30′)
– Poluição (A Outra Face do Progresso) (documentário 12′)