Fiche Personne
Réalisateur/trice Producteur/trice Scénariste

Julio Silvão Tavares

Cap-Vert

Français

Réalisateur et scénariste capverdien.

English

Director and scriptwriter from Cape Verde Islands.

________

PT
Produtor/Realizador de cinema, Diretor da Produtora Silvão-Produção Filmes, que atua em quatro segmentos: Produção de vídeo digital, trabalhando com documentário e ficção, Cultural com produção de espetáculos, publicitário com produção de vídeo institucionais e social com apadrinhamento de instituições que labutam com jovens e adolescentes de comunidades carentes, na matéria de audiovisual.



Júlio SILVÃO TAVARES
Durante cerca de três anos teve um programa radiofónico, na então Rádio Nacional, hoje Rádio de Cabo Verde, denominado « ARTICULTURA » (1992). O objectivo do programa era divulgar a cultura tradicional e os seus promotores. A partir deste programa, foi contactado para realizar uma proposta idêntica na Televisão. Não havia na TV programas que divulgassem as tradições, os hábitos e costumes de Cabo Verde. Em 1993 começa a produzir e realizar o programa cultural « DRAGOEIRO », de periodicidade quinzenal que teve três anos de vida.
Actualmente, não está ligado à televisão nacional. Criou uma empresa de Produção e Realização Cinematográfica, Silvão – Produção, Filmes, em 2004. Em 2005, realiza o seu primeiro filme documentário, o « Batuque, a Alma de um Povo ».

A « Silvão – Produção, Filmes » produziu e realizou um documentário de 24 minutos sobre a arte plástica cabo-verdiana, que já foi visto tanto na TCV como na RTP África. Tem em projecto a produção de um filme que retrata a história do Centro Prisional do Tarrafal a partir do assalto à mão armada do navio « Pérola do Oceano », em Agosto de 1970, por alguns nacionalistas cabo-verdianos para alcançarem a Guiné Bissau e tomarem parte na luta de libertação.

Tem em preparação uma primeira longa-metragem. Um filme cuja sinopse já fez parte da colectânea do Festival de FIICAV em São Paulo (Brasil), no ano passado. O nome provisório do projecto foi « Triângulo Virgem », uma obra de ficção, que retrata a fragilidade e inexperiência de Cabo Verde em termos de segurança nos primeiros anos da independência, a ser utilizado como empório de droga da América para Europa.

Tem em execução o projecto « Cinema Aberta » que é uma parceria da Produtora Silvão – Produções, Filmes com o Centro Cultural Francês que tem como propósito fazer mostra de filmes produzidos em Cabo Verde ou sobre Cabo Verde por produtores e realizadores cabo-verdianos e estrangeiros. A mostra é feita em ecrãs gigantes e em via pública, gratuitamente, em diferentes povoados. Para além de ver filmes, a comunidade tem a oportunidade de ver e analisar a sua vivência na sua localidade de sua residência, através de imagens da própria residência recolhidas na antevéspera da mostra. Por este facto, a comunidade é um cinéfilo participativo do Cinema Aberta.

Num país como Cabo Verde, conhecido pelas suas carências, as lacunas do cinema cabo-verdiano vêm sendo preenchidas pela participação dos realizadores cabo-verdianos em eventos internacionais como Africadoc e Cineport. A Silvão Produções tem três projectos na forja. O documentário « UNIDOS PELA MESMA CAUSA » que retrata a história do centro prisional do Tarrafal, contada através do assalto a mão armada do navio Pérola do Oceano em Agosto de 1970. A história é narrada pelos personagens na primeira pessoa, tendo no centro um personagem pivot que liga os restantes.
Júlio Silvão terminou ainda recentemente o documentário « Eugénio Tavares, Coração Crioulo », único projecto de Cabo Verde seleccionado para financiamento no âmbito da 1ª edição do concurso DOC TV-CPLP.
È um dos fundadores e actual dirigente da associação ETNIA CABOVERDE, que coordena no país o Circuito CuLtural Lusófono, em parceria com o ICL (Brasil) e a ong ETNIA – Cultura e Desenvolvimento (Portugal)
(adaptado livremente, com a devida vénia, de www.raizonline.org)