Murmures

Kinani e Danse L´Afrique Danse! num só palco
octobre 2015 | Communiqués de festivals | Danse | Mozambique
Source : Soarte Media

Português

A equipa do KINANI – Plataforma internacional de dança contemporânea – convida ao vosso prestigiado órgão de informação a Conferência de Imprensa de apresentação deste evento na versão 2015, a ter lugar no próximo dia 08 de Outubro, ás 16h, no Centro Cultural Franco Moçambicano.



Este ano Moçambique, através do KINANI – Plataforma internacional de dança contemporânea recebe o Danse L’Afrique Danse!. Esta é a maior plataforma africana no sector que para reforçar o diálogo com os operadores mais activos no continente adoptou em 2014 um formato itinerante. Após visitar Tunísia, Camarões, Malí e Senegal, Danse L’Afrique Danse! escala Moçambique para se juntar as comemorações de uma década do KINANI como reconhecimento do trabalho desenvolvido pela produtora desta plataforma ( IODINE Produções) e dos vários prémios ganhos pelos coreógrafos moçambicanos nomeadamente: Augusto Cuvilas, Panaíbra Gabriel Canda, Maria Helena Pinto e recentemente Horácio Macuácua.



O programa da 6ª Edição do KINANI conta com 24 espetáculos de dança e instalações artísticas oferecidos por 27 coreógrafos e artísticas provenientes de 09 países africanos que de 16 a 20 de Outubro irão ocupar a cidade de Maputo. Em cartaz estarão temáticas como: Género, sexualidade, direitos humanos, identidade, corpo humano, crenças e outros temas que colocam o quotidiano em questionamento. As salas do Centro Cultural Franco-Moçambicano, Teatro Avenida, Museu da Pescas, terão sessões diárias entre às 18, 19 e 20 horas nas diferentes salas e o 4º andar (espaço alternativo) a partir das 17horas.



De Moçambique, Panaíbra Canda e Horácio Macuácua já premiados nas edições passadas do Danse L´Afrique Danse! irão apresentar “(UN) Official Language“ e “Migration To Paradise” respectivamente. “ (UN) Official Language” pretende confrontar a “Língua” no seu discurso oficial e não oficial, a relação entre a língua materna e a língua da herança colonial continuam como pólos de conflito para a expressão dos indivíduos. “Migration To Paradise – Luck doesn’t exist” tenta recriar um fôlego colectivo entre bailarinos e plateia demonstrando uma dança visceral, sem maneirismos, instintiva e espontânea, despida, animal… Moçambique é representado ainda por Ídio Chichava que apresenta-nos “iN Tolerância” fazendo um recorte ao Moçambique urbano e Pak Ndjamena com “Piscar” que convida-nos a descoberta de sons criados a partir de fontes inesperadas.



O universo feminino moçambicano será representado por duas coreógrafas nacionais: Janeth Mulapha com “ que aborda a vulnerabilidade do universo humano em constante interacção com aspectos que conduzem o Homem para os limites dos desejos imensuráveis e incontroláveis, e Kátia Manjate com “Casa” que coloca o Homem diante do mundo para (des) construir um olhar sobre este espaço estável. A casa (corpo) é a cidade imaginária ameaçada pela experiência quotidiana.



Da francofonia destaca-se Kettly Noel do Mali com a peça “ Je ne suis plus une femme noire” que expõe a visão da artista sobre um mundo onde a cor da pele tornou-se irrelevante e onde a noção de identidade é dada um novo significado. Do espaço anglófono, será exibida “The Last Atitude” de Mamela Nyamza e Nelisiwe Xaba com a Dramaturgia de Boyzie Cekwana, a obra faz uma crítica à política em torno da arte tradicional do ballet explorando e expondo as questões de raça, género e identidade sob um olhar africano.



Uma das mais excitantes novidades deste 2 em 1 (KINANI e Danse L`Afrique Danse! ) é a integração do espaço 4º andar no programa principal. O conceito “4o andar” surge da ideia de “reutilização” de espaço não convencional para a apresentação de espetáculos e instalações artísticas. O edifício tem obras interrompidas desde a época da independência e sita na Av. 24 de Julho, esq. c/ Av. Olof Palme.



KINANI e Danse L`Afrique Danse! representam um marco para impulsionar e celebrar a criatividade artística que expõe e problematiza em palco o quotidiano humano nos seus mais diveros aspectos.



A iniciativa conta com o apoio Institut français, Total, Instituto Camões, Prohelvetia, a Agência Suíça para o Desenvolvimento e Cooperação, o Centro Cultural Franco-Moçambicano (CCFM), a Fundação para o Desenvolvimento das Artes e da Comunicação (FUNDAC) e do Banco Comercial e de Investimentos (BCI).

Para mais informações, visite o nosso site: www.kinani.org.mz ou a nossa página do Facebook, em www.facebook.com/kinani



Com os melhores cumprimentos



Comunicação

+258 84 951 96 59

+258 82 2686 727

IODINE Produções, Av. 24 de Julho No 2182 – Edifício Cine África 1o Andar -Maputo. Moçambique;

Cel: (+258)82 4991520/(+258)823747881; Fax / Tel (+258)21300415 e-mail:[email protected]
Partager :



Africultures a franchi le cap des 10.000 articles depuis sa création en 1997
Nous remercions tous nos contributeurs et nos lecteurs
Inscrivez-vous à la newsletter pour suivre nos publications