Fiche Personne
Musique Danse

Teca Miguel Garcia (Titica)

Chanteur/euse
Angola

Français

Titica, née Teca Miguel Garcia, est une chanteuse transexuelle angolaise, qui fait du kuduro.

English


Titica is a transsexual Angolan singer and dancer, who performs a local form of rap-techno music called « kuduro ». She was named « best kuduro artist of 2011 ».



Born Teca Miguel Garcia in Luanda, Titica began her career as a backing dancer with acts such as Noite e Dia, Propria Lixa and Puto Portugues. She released her first track as a vocalist in October 2011, « Chão », which soon became a big hit both in Angola and the Angolan diaspora.



On 15 December 2011, Titica announced her first work called O Chão. With the gorgeous single « Olha o Boneco » featuring the African-Portuguese Ary. The song joins a few kuduro moving and’créu’. It was released for the first time on’Cultura Angolana Radio’. In Portugal and Brazil the song has stayed in first place on the music charts for 3 weeks in Portuguese program TOP + and 7 weeks in Brazilian show Rolando Música.



« Olha o Boneco », had a lot of success in discos, and TV shows in the PALOP (African countries whose official language is Portuguese) and some European countries. Titica in this song wants to give a message to the sexuality of some people in a few sentences she makes her meaning « outrora fui bailarina, agora sou à menina » and when Ary sings « venho de forma diferente, e quem quiser que comente… bem ou mal é de mim, porque estão falando assim »; that we are all different but all human, all equal, just « one love ».

The second song of O Chão’s album is « Ablua », recorded in Angola. The third single is known as « Chão Chão » and is included on the bonus track album.



From Wikipedia, the free encyclopedia

Português

Teca Miguel Garcia, mais conhecida como Titica, é uma cantora transsexual angolana que se tornou um ícone do estilo kuduru em Angola, sendo nomeada « Melhor Artista de Kuduro » do ano de 2011. Nascida em Luanda, Titica adotou sua persona feminina quando implantou seios no Brasil.



« Comecei como bailarina, depois resolvi cantar. É muita responsabilidade. Você precisa estar sempre preocupada com a mensagem que está passando para as pessoas. Kuduro é responsabilidade. Muita gente o usa como um refúgio para as drogas. Ele afasta muitos jovens dessa vida », conta. « O kuduro começou nos guetos, que é como chamamos as favelas no meu país. Por isso é feito para as pessoas refletirem, protestarem e, é claro, se divertirem. Ele começou como uma dança, por isso também é composto em cima de ritmos e batidas, feito para festejar.



Em 2011, lançou sua primeira canção, « Chão », uma das faixas mais tocadas da história do kuduro. Este mês, a cantora embarca em sua primeira turnê internacional, com shows em Portugal, Grã Bretanha e Estados Unidos.



É provavelmente a artista mais controversa do mercado musical em Angola. Entre altos e baixos, a sua história de vida comoveu e gerou polémica no seio da população angolana já que « ela » é a primeira artista em Angola que optou por mudar radicalmente de sexo: de homem para mulher devido à sua identidade de gênero.



Titica, cantora do estilo mais popular entre os jovens, o « Kuduro » esteve na Rádio Luanda para falar a verdade e desmentir alguns boatos que envolveram o seu nome e ainda despertam curiosidade entre os seus fãs…



Ticni, como é tratada pelos seus amigos, começou primeiro por falar do seu novo trabalho que já está a ser preparado. Sem adiantar o nome e a data do lançamento do CD, garantiu que o seu segundo álbum terá dez faixas musicais, com diversos estilos entre eles Zouk, Tarrachinha e o Kuduro.



Em relação à sua forma de estar e conviver com as pessoas, a artista disse ser « aquela que aguenta e não tem medo de nada. » Admitiu ainda já ser uma transsexual, revelando ter feito várias alterações ao seu corpo para hoje estar como está.



Sem papas na língua a carismática  » Ticni » não teve problemas em falar sobre os seus relacionamentos amorosos dizendo que não tinha razões para ser solteira, porque « há sempre um na cola dela ». Contudo pensa em casar um dia como qualquer mulher, garantindo que quando chegar o seu momento, o seu casamento será algo inesquecível e ficará na história.



Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre
Partager :